Mochilando pela América do Sul - parte dele


Oi gentee, acabo de voltar de uma viagem de uma parte do nosso continente.

Estive em 4 países: Uruguai, Argentina, Chile (novamente) e Peru.

Entre altos e baixos irei compartilhando aos poucos essa doce aventura acompanhada de um amigo da cidade de Uberlândia, o Sérgio.

Pois bem, sempre tive vontade de visitar nossos vizinhos... Até que um dia essa idéia virou realidade.

A primeira parada foi em Montevidéu, capital do Uruguai. Depois de uma grande conexão em Guarulhos (5 horas de espera) lá pela meia noite estava fazendo a minha imigração no aeroporto de Carrasco. Aliás, imigração muito fácil tanto pra mim quanto pra quem fez na minha frente.

Carimbei meu passaporte mas brasileiros podem viajar usando somente a identidade. Eles lhe entregam um papel com um carimbo para ser mostrado assim que tiver saindo do país. Se perder esse papel, paga-se uma multa.

Não fiz muitas coisas em Montevidéu além de caminhar muito pela cidade velha e na orla de Pocitos durante a noite mas conto tudo mais nas próximas postagens.

Depois de Montevidéu, fui conhecer a luxuosa cidade de Punta del Este. Novamente com a disponibilidade de tempo curta, não consegui por em prática todos os meus planos na cidade. Uma delas era de conhecer o famoso casino Conrad e também o centro da cidade com uma moderna arquitetura.

Mas fui até a famosa casa Pueblo para também poder apreciar o lindo pôr do sol.

A casa Pueblo na verdade é um museu repleto de obras de arte que podem ser apreciadas e compradas. Olhei tudo rapidamente e depois de ficar perdida pelos cômodos, cheguei até a sacada para acompanhar o momento do sol se pondo mas, assim como eu, várias outras pessoas também tentavam seu lugar ao sol haha.

Foi até que então resolvemos ir para o restaurante da casa ao lado que tinha a mesma vista só que não estava tão acirrado. Pra essa façanha, precisei pagar em torno de 11 dólares á mais mas com o direito de reverter esse valor em uma refeição do restaurante... Achou interessante? Confira o blog nos próximos dias que já explico.

No outro dia depois de uma noite de sono, saímos de Punta e fomos até a rodoviária de Montevidéu pegar o ônibus para Colônia de Sacramento. Não conheci a cidade... Só mesmo o porto para pegar o navio até Buenos Aires e assim atravessar a primeira fronteira por terra. Eu tinha muita curiosidade de como funcionava a imigração fora de aeroportos e vi que é da mesma forma que sempre fiz viajando para a Europa.

Check in, raio x e carimbo no passaporte.

A espera foi longa e o fato de ter viajado durante quase todo o dia me deixou cansada ao chegar em Buenos Aires.

O meu Uber não funcionou la... ainda não sei porque.

Mas depois de um banho e jantar me reanimei e comecei á fazer um tour pelos cartões postais da capital Argentina que incluiram a casa rosa, edifício com a homenagem á Eva Peron, entre outros... Fiquei apaixonada pelas avenidas largas, outdoors luminosos e decoração das ruas. Voltarei aqui e contarei detalhadamente como foi essa viagem.

No dia seguinte mais uma viagem longa by bus; dessa vez com destino á Santiago no Chile.

Fomos bem cedinho á rodoviária no Retiro e depois de comprar as passagens fomos passear pelo Porto Madero e achei tudo muito lindo....

Exageramos um pouquinho com o passeio e na ida á rodoviária muita correria para não perder o ônibus haha. Gente, meu preparo físico está horrível rs mas conseguimos chegar á tempo e pegar esse danado.

O ônibus estava muito confortável e tinha bons serviços com banheiro limpo, lanches e bebidas á disposição.

Quanto gastei em dinheiro e tempo com essa viagem contarei mais em breve.

Já no ônibus conhecemos uma senhora que nos falou muito bem da cidade em que mora: Viña del Mar.

Como é próximo de Santiago, resolvemos ir passar uma noite lá... Chegamos por volta de umas 5 horas no hostel e saimos para "jantar" mesmo que ainda cedo.

A intenção era comer uma comida chilena mas como entrei no primeiro restaurante aberto que vi, acabamos jantando em um restaurante de comida peruana, que aliás fez jus á fama e me serviu um risoto delicioso.

Depois disso fomos caminhar pela orla até um Píer muito lindo... Tiramos algumas fotos, observamos um pouco o local e voltamos ao hostel para descansar; até porque estava esfriando rapidamente.

Depois de Viña, hora de partir do Chile. Não animamos em ficar em Santiago porque meu amigo não gostou muito das partes em que viu e nosso tempo estava acirrado.

Mais estrada e muitas horas conhecendo as praias do país pelo ônibus, aliás, viajamos quase todo o Chile podendo ver o mar. Entre umas paradas e outras, o destino era Arica, a última cidade antes da fronteira no Chile.

De lá na rodoviária de Arica pegamos um micro ônibus cheio de peruanos rumo á Tacna.

Na fronteira, todos desceram do micro ônibus e passaram pela imigração... Ninguém teve problemas e a viagem prosseguiu.

Já em Tacna procurei um hotel chamado Fronteira, que foi indicada por um chileno que conheci no ônibus mas lá não havia vagas.

Como a região é farta de hotéis, não foi difícil encontrar outro. Ali tomei um bom banho e tive um farto jantar... E no Peru é assim, todas as refeições são fartas, mesmo que seja somente para uma pessoa.

Dali no outro dia, o meu amigo não quis ir até Cusco e sim diretamente para Lima.

Como o meu maior desejo de toda a viagem era o de conhecer Machu Picchu, cada um seguiu a viagem sozinhos.

Para eu chegar até Cusco, antes deveria trocar de ônibus em Arequipa (não há ônibus diretos) mas foi tudo bem fácil... apesar do segundo ônibus ser mais apertadinho, deu pra tirar um bom cochilo pela noite.

Cheguei em Cusco pela manhã e fiquei muito feliz em ser recebida por um peruano que falava português e se dizia apaixonado por nós.

Dali em diante só tive boas impressões... A cidade é uma gracinha e várias vezes me senti em Ouro Preto.

Todos os detalhes de Cusco em breve.

E depois de um dia inteiro descobrindo Cusco, á noite o hostel celebrou o dia de St. Patricks day como muita música latina onde festejei moderadamente porque ás 5 da manhã estava combinado da agência que me levaria á Machu Picchu me buscar. Por volta de umas 3 hrs fui descansar e ás 5 em ponto o motorista da van chamou meu nome na recepção. Estava bastante frio pela manhã, mas por volta de meio dia estava sentindo muito calor.

Dormi durante todo o percurso da viagem até o momento de pegar o trem na estação Ollantaytambo. No trem conheci um brasileiro e 2 australianos que me fizeram companhia durante a visita em Machu Picchu. Foi muito divertido!

E lá estava ela sob os meus olhos, Machu Picchu... A sensação de finalmente ver aquele lugar que eu só namorava em livros e filmes era indescritível.

Ainda não tenho palavras pra descrever a emoção mas nos próximos posts quero explicar tudo o que tive que fazer pra ir até lá.

E pra finalizar o tour sul americano, Lima.

De lá foi a volta até Rio de Janeiro com conexão em Guarulhos.

Lá também reencontrei meu amigo brasileiro e conheci outros brazucas que trabalham no hostel que me hospedei.

Assim como todas grandes cidades, há as partes feias e bonitas... Não posso me queixar de Lima em quase nada, só pelo fato de Uber não funcionar no aeroporto ;( mas a Costa verde por exemplo é fantástica.

Nossas noites foram felizes e agitadas graças á galerinha do hostel. Nos divertimos muito na Calle de las pizzas e no próprio hostel.

Aos poucos irei contar tudo com os mínimos detalhes da viagem... É muita dica pra compartilhar, impossivel fazer tudo isso agora.

Beijocas da Ferrari!

#Viagens #MochilãoAméricadoSul

0 visualização

Blog  Mala Pink

  • Fan Page facebook
  • Twitter Mala Pink
  • Google mais Mala Pink
  • Canal Mala Pink
  • Pinterest Mala Pink
  • Instagram Mala Pink

© 2016 por Fernanda Mala Pink | Orgulhosamente criado por Fernanda Mala Pink